UF Amarante lamenta ausência da “Festa do Livro”

Realizada, desde a sua primeira edição (em 2013), no Campo da Feira, a Festa do Livro é um dos mais significativos eventos culturais de Amarante. Este ano não foi possível realizar a 7ª edição, facto que a União de Freguesias lamenta.

A propósito do Dia Mundial do Livro, que se evocou a 23 de abril, a União de Freguesias de Amarante (S. Gonçalo, Cepelos, Madalena e Gatão), lamentou, num post publicado na sua página do Facebook, não ter podido realizar, este ano, a “Festa do Livro”.

“A pandemia causada pela COVID-19 e a consequente declaração do estado de emergência com as medidas restritivas anunciadas pelo Governo, não permitiu que, hoje, tivesse sido inaugurada a VIIª edição da ‘Festa do Livro’, pode ler-se.

Reconhecendo que a “Festa do Livro” é já uma marca cultural em Amarante, a UF assinala que “em cada edição deste evento procurámos ajudar a divulgar a literatura e a disseminar o hábito da leitura. Por isso, sempre foi preparada com a mais profunda preocupação pela valorização e sensibilização para a importância do livro e da leitura”.

E mais adiante: “Se não estivéssemos a viver um momento tão difícil para todos, no âmbito da Emergência de Saúde Pública de Âmbito Internacional da COVID-19, durante o dia de hoje (23 de abril) já muita gente, nomeadamente algumas dezenas de alunos das nossa escolas, teriam passado pela ‘Festa do Livro’, onde encontrariam livros, autores, leitores e contadores de histórias. Onde livros e livros estavam ao alcance da mão, procurando criar a intimidade que só o contacto pode proporcionar. Onde o visitante poderia apenas olhar as obras, tocar uma ou outra, poderia ler uma frase aqui e outra ali, olhar as imagens, ou simplesmente, não ler. A generosidade da Festa do Livro assegura-lhe esse direito”, acrescenta-se.

Sugerindo aos leitores do post que “aproveitem esta época de confinamento para colocarem as leituras em dia”, a UF de Amarante diz esperar que a evolução epidemiológica permita, no próximo ano, a realização do evento, terminando o texto do post com uma citação de Vitor Hugo: “Ler é beber e comer. O espírito que não lê emagrece como o corpo que não come”.

Prémio Ilídio Sardoeira entregue em setembro?

Entretanto, ao que sabe AMARANTE MAGAZINE, o Prémio de Literatura Infantojuvenil Ilídio Sardoeira, também organizado pela UF de Amarante, deverá ser entregue em setembro (ou outubro), no início do novo ano letivo.

Em situação normal, os vencedores teriam sido conhecidos na abertura da “Festa do Livro”, que não se realizou este ano. As candidaturas decorreram até 15 de março, não tendo, numa primeira fase, devido à pandemia que estamos a viver, havido possibilidade de o Júri (presidido pelo escritor António Mota) reunir presencialmente.  O processo de apuramento dos vencedores tem, no entanto, vindo a acontecer e estará concluído no verão.

Recorde-se que o concurso tem duas modalidades de premiação: autores até aos 18 anos, a frequentarem o ensino secundário em Amarante; e autores com mais de 18 anos. Na primeira edição do Prémio de Literatura Infantojuvenil Ilídio Sardoeira, foram distinguidas, respetivamente, Maria Freitas e Anabela Borges.

CONTINUAR A LER

Deixe um Comentário

Pode Também Gostar