Governo aprova recuperação de antigas casas de guardas-florestais

O Governo aprovou, na semana passada, o decreto-lei que cria um programa para incentivar a recuperação de imóveis públicos inseridos em património natural, como é o caso das antigas casas de guardas-florestais.

Segundo Pedro Siza Vieira, ministro-adjunto e da Economia, o “Revive Natureza” visa a recuperação, exploração e colocação em utilização de “um conjunto de imóveis que são do Estado e que se encontram dispersos pelo território”.

O governante, que falou em conferência de imprensa após o Conselho de Ministros realizado na passada quinta-feira, explanou que já foram identificados, numa primeira fase, 96 imóveis que serão integrados num Fundo Mobiliário Especial.

“Estamos a falar de antigas casas de guardas florestais, de postos da Guarda Fiscal e de outros pequenos imóveis dispersos pelo território inseridos em localizações que são notáveis pelas suas características e património natural de que dispõem”, acrescentou.

O governante salientou, ainda, que o modelo previsto para este programa já está a ser utilizado para a recuperação de “património culturalmente significativo”, referindo-se ao “Revive”, através do qual se lançou, recentemente, um concurso para adaptar o Mosteiro de Travanca a unidade hoteleira.

CONTINUAR A LER

Deixe um Comentário

Pode Também Gostar